quarta-feira, 8 de agosto de 2012

E-church: Internet e Igreja 2.0

Renan Alencar de Carvalho

É inegável o impacto e transformação que a internet causou na sociedade. Os meios de negociação, trabalho e relacionamento mudaram, o e-comerce se tornou algo cotidiano, levando inclusive a diversas lojas deixarem de existir fisicamente para atuar apenas no mundo virtual.
As notícias e acontecimentos são divulgadas quase instantaneamente, não somente pelos canais de comunicação normal, mas por pessoas comuns que se tornam referência em um determinado assunto, o conhecimento é criado de forma colaborativa de diversas partes do mundo, e amplamente divulgadas através de redes sociais, blogs, foruns etc.
O próprio modo de relacionamento entre as pessoas mudou. Para muitas pessoas é mais comum conversar por redes sociais do que pessoalmente. O ensino a distância (EAD) aumentou consideravelmente, e existem até mesmo faculdades oferecendo curso de graduação pelo Facebook. Toda essa revolução é muito bem mostrada na séries de vídeos "Você sabia?" ("Did You Know?"), que pode ser encontrada no site do youtube.

A Internet e a Mobilidade
Toda essa mudança é alavancada pela rápida inovação tecnológica que passamos. Os meios de acessos e consumo de informação estão cada vez menores e portáteis, além de financeiramente mais acessíveis. As interfaces de uso estão cada vez mais intuitivas e mesmo pessoas com pouco conhecimento em informática são capazes de operar um tablet como o iPad®. De fato, o acesso ao ambiente virtual tem se tornado tão intuitivo e portátil que muitas vezes o mundo real e virtual se mesclam, e conceitos como realidade estendida (ou sexto sentido), ou presença remota se tornam cada vez mais comuns. Apenas como exemplo, existem robôs sendo vendidos para o mundo corporativo em que o funcionário manipula remotamente seu "avatar" da sua residência e interage com seus colegas de trabalho como se estivesse presente na empresa, participando de reuniões, debates, conversas no café etc.
Outro fator que influencia essa migração para mundo virtual são os crescentes problemas que os grandes centros urbanos geram, como violência e trânsito. A locomoção para estar fisicamente em um lugar tem se tornado cada vez mais complicada nos grandes centros. Em São Paulo, onde resido, é extremamente comum demorar entre 1 e 2 horas para fazer em horário de pico um trajeto que normalmente levaria de 10 a 20 minutos. Em épocas de chuvas e alagamentos, se torna inviável ir para alguns lugares da cidade, além da crescente violência, que inibem a circulação em determinados lugares e horários.

Oportunidades para a E-church (Igreja 2.0)
Todo esse contexto apresenta uma grande oportunidade para a igreja. Temos a oportunidade de romper a barreira física, e nos relacionarmos como igreja idenpendentemente do local ou distância que estejamos uns dos outros. Existem diversas possibilidades na expansão virtual, mas vou citar alguns benefícios imediatos:

Pregação - Podemos levar o evangelho de forma muito mais rápida e barata para muito mais pessoas ao redor do mundo, além de ser uma forma mais segura em países fechados para o evangelho. Outra vantagem é que podemos utilizar diversos recursos para complementar o que está sendo pregado, mapas, fotos etc.

Acessibilidade - Pessoas que estariam incapacitadas para estarem em um culto fisicamente (sejam por problemas de saúde, impossibilidade de locomoção ou qualquer outro motivo) poderiam participar junto com a igreja, cantando, louvando, orando e ouvindo da palavra do Senhor.

Ensino - Através das práticas de EAD, poderíamos educar e formar pessoas em diversas partes do mundo, ou mesmo ensinar para uma quantidade de pessoas muito superior ao que seria possível colocar em uma sala física. Jogos e realidade virtual - Apesar de ser um conceito relativamente novo, existe uma tendência para se utilizar jogos e mundos virtuais com o fim de educação, reunião e produção de conhecimento. Um exemplo disso é o CityOne, jogo lançado pela IBM para educar executivos e consultores sobre o seu programa Smarter Planet ("Um mundo mais inteligente"), e como aplicar as diversas ferramentas disponíveis pela empresa. Similarmente, poderíamos criar jogos educativos sobre a bíblia, valores éticos, princípios etc, atingindo principalmente o público infantil/adolescente.

Reuniões - Muitas vezes é preciso reunir pessoas para resolver determinados assuntos. Utilizando tecnologias de tele-presença, voip e outras tecnologias de comunicação, poderíamos resolver problemas com ações mais rápidas e precisas.

Aconselhamento - Muitos dos problemas que as pessoas passam poderiam ser atendidos por um conselheiro ou pastor via internet, seja por mensagens, ou por tele-presença. Isso representaria uma capacidade maior de atenção para mais pessoas, pois retira-se o tempo de transporte.

Não perder o foco: alcançar vidas
Antes de concluir esse post, gostaria de deixar claro que não estou propondo uma troca no nosso modo de se relacionar como igreja, e que a relação física deva ser deixado de lado. Pelo contrário, ainda não existe nada que substitua o "estar frente a frente". No entanto, não podemos descartar as oportunidades e benefícios que a tecnologia tem nos proporcionado. Vejo que ainda poucas igrejas têm investido algo nesse sentido, e engana-se quem pensa que somente as grandes igrejas conseguirão ter esse tipo de infraestrutura. Uma das poucas igrejas que conheço que disponibiliza seus cultos em tempo real via web, com a possibilidade de interação das pessoas, é uma igreja pequena.

Concluindo, vejo um futuro cheio de possibilidades e desafios pela frente, e como igreja, devemos nos preparar para aproveitá-los a favor do Reino. Não podemos ignorar as mudanças comportamentais que temos sofrido devido ao rápido avanço tecnológico, mas devemos entendê-los e aproveitá-los.
Espero que esse post tenha ajudado a você enxergar o investimento em tecnologias como o site da sua igreja como uma oportunidade de expansão do reino, e não como algo supérfluo. Incentive a sua igreja a utilizar redes sociais, fóruns, blogs, programas em Cloud Computing, faça do site de sua igreja um portal dinâmico e útil para as pessoas, invista em tecnologias de transmissão de vídeos ao vivo.
Tudo isto sem perder o foco que esse investimento é para alcançar vidas.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site http://www.institutojetro.com/

A espiritualidade do líder

Ednilson Correia de Abreu

O tema da espiritualidade está na moda. Se por um lado isso é positivo, por chamar a atenção do mundo para uma perspectiva muitas vezes ignorada, por outro, corre-se o risco de uma banalização e um desvirtuamento do tema. Mas, e para os líderes, que implicações o tema da espiritualidade tem?
Falar que o líder cristão precisa ser espiritual, é um truísmo. Não se pode ser um líder cristão e não ser espiritual. Como manter uma liderança cristã relevante sem manter um vital relacionamento com Cristo?
Não basta apenas ser líder, conhecer as técnicas e as estratégias mais modernas do mundo da liderança. O líder eficaz, antes de fazer, precisa ser, e ser espiritual. Muitos caem aqui. Começaram bem como líderes espirituais, mas no decorrer da jornada se tornaram apenas líderes, firmando-se apenas em suas habilidades gerenciais, eloqüência, personalidade, manipulações, etc.

Fatores geradores de problemas na espiritualidade do líder

Pragmatismo – Muitos líderes perderam o seu relacionamento vital com Deus por conta de um comprometimento radical com o pragmatismo. Como estratégias de sucesso, passaram a pautar seus atos pelos resultados, acabaram negociando valores antes inegociáveis. Os fins acabaram justificando os meios e com isso a perspectiva espiritual sadia foi para o espaço.
Competição com outros ministérios - Uma visão competitiva extrema pode produzir uma perda ou enfraquecimento da vivência espiritual do líder. É quando ele passa apenas a lutar pelo seu lugar no mercado, como se a sua própria sobrevivência ou dignidade humana dependesse disso. Líderes cristãos não são competidores entre si. Somos partes de um mesmo time.
Visão materialista do ministério - Quando um líder desenvolve uma visão materialista do ministério é um sinal forte de que a sua espiritualidade encontra-se extinta ou em vias disso. Quando o homem perde a visão espiritual da vida ele precisa substituí-la por outras realidades e a mais comum é o apego às coisas materiais e a aparente segurança que elas promovem.
Perda do cultivo de um relacionamento real com Deus - Creio que a raiz disso tudo está na perda de um relacionamento diário, real e equilibrado com Deus. Quando o líder se deixa enredar por uma rotina dura e fria e ignora a necessidade de se manter na presença do Senhor como um estilo de vida, isso terá um efeito decisivo sobre o seu poder e relevância.

Um caminho de prevenção e cura espiritual do líder

Lembre-se de quem você realmente é Todo líder cristão precisa se lembrar que é um cristão. Parece óbvio, mas o problema é que, por ser óbvio, acabamos nos esquecendo disso, e deixamos a rotina se instalar e achamos que funcionaremos em uma espécie de piloto automático. Isso não existe. Espiritualidade sadia requer ações proativas de nossa parte, o tempo não nos torna mais espirituais nem o fato de estarmos envolvidos em afazeres eclesiásticos ou para-eclesiásticos. Espiritualidade sadia é vida em Deus e com Deus.

Viva perto de Deus
Precisamos viver com Deus de verdade. Quanto mais perto de Deus estivermos, mais aptos estaremos para levar as pessoas sob a nossa influência para mais perto dele. A palavra profética de Miquéias nos chama atenção aqui quando diz: “O Senhor já nos mostrou o que é bom, ele já disse o que exige de nós. O que ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus. Miquéias 6.8 (NTLH)

O que gera a proximidade de Deus
Transformação pessoal ética – Um líder espiritual será um líder ético, cujo moral é ilibada e limpa diante dos homens e de Deus; cujo coração é levado a amar e perdoar como ele mesmo é amado e perdoado por Deus.

Sabedoria – Na luz do Senhor, veremos a luz para nos iluminar ao longo dos caminhos difíceis e das decisões do dia-a dia. A sabedoria verdadeira vem de Deus para nós.
Visão – Aliada à sabedoria, uma vida de proximidade de Deus produzirá visão, que é aquela capacidade de poder ver aquilo que a maioria não vê. Um líder que anda com Deus de verdade é capacitado e enxergar.
Consolo – Temos carências e limitações, enfrentamos tragédias e tristezas, como todo ser humano. A liderança não nos isenta de experiências dolorosas. Mas temos um Deus que prometeu caminhar conosco em todos os momentos, inclusive nos vales de lágrimas.
Paz – Liderar não é fácil e a todo instante algo tenta roubar a nossa paz, por isso, quanto mais próximo do Senhor estivermos, mais de sua paz receberemos.
Esperança – Sem esperança não podemos liderar. A esperança energiza os sonhos. Um líder que vive perto de Deus terá suas esperanças renovadas diariamente e assim seus sonhos serão renovados na mesma medida.
Encorajamento – Há dias em que parece que tudo está contra nós, que o Diabo jogou todas as suas armas em nossa direção. Mas uma vida próxima de Deus vai trazer encorajamento, Deus usará os seus meios maravilhosos para nos mostrar que ele está lá ao nosso lado para nos fortalecer.
Vitória espiritual – Um líder espiritual obterá vitórias espirituais e estas são as mais importantes da vida, pois elas fundamentarão todas as outras que podemos ter no trabalho, na família, nos relacionamentos e etc.

Concluindo, quero lembrar três coisas:

O mundo precisa de líderes espirituais
O mundo precisa de líderes com conteúdo espiritual verdadeiro, homens e mulheres que sejam referencias de vidas iluminadas pelo sobrenatural, marcadas por um poder transcendente que vem de um Deus que é capaz de usar vasos de barros, como nós, transformando-os em utensílios tremendos, cheios de graça e poder influenciador de vidas.

A sociedade está buscando um caminho espiritual
A sociedade está em busca de um caminho espiritual seguro e quem melhor do que os líderes deste tempo para apontarem este caminho?
Líderes espirituais, comprometidos seriamente com Deus e sua vontade na terra podem influenciar decisivamente a sociedade enferma em que vivemos hoje.

Jesus como o maior líder espiritual discipulou os seus liderados como homens espirituais
Portanto devemos seguir a mesma rota. Se há uma marca que precisamos deixar sobre os nossos liderados, esta precisa ser essencialmente espiritual. Eles precisam entender e ver em nós o poder de uma vida realmente comprometida em viver com Deus todos os dias.
Cuidado para que não ocorra em sua vida aquilo que Bill Hybels citou: “O ritmo no qual estou fazendo a obra de Deus está destruindo a obra de Deus em mim”. Ao contrário, Deus espera que a nossa liderança seja exercida em sua presença e que esta nos leve cada vez para mais perto dele, levando junto conosco aqueles que estão sob a nossa influência.
Que Deus nos abençoe assim.

Reprodução Autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado o autor e o site www.institutojetro.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo