quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A essência e a prática da liderança servidora

Mais do que um novo modelo de gestão ou mera técnica administrativa, a liderança servidora é fruto de uma filosofia de vida.
Muito já se falou sobre liderança servidora durante os últimos anos e especialmente após a curiosa repercussão que a obra “O Monge e o Executivo”, do consultor norte-americano James Hunter, obteve no país. Contudo, ainda hoje é fácil encontrar pessoas que não sabem exatamente quais são seus princípios e nem como praticá-la no dia a dia.
Primeiramente, ser um líder servidor não tem nada a ver com rebaixar-se ou bancar tudo aquilo que seus liderados querem que você faça; isso é querer para si o papel de tolo. Servidor é quem se torna acessível e se coloca a serviço das pessoas com o interesse genuíno de ajudá-las, sejam elas subordinadas ou não.
Explico: muito daquilo que se escreve e é falado correntemente sobre este tema trata das questões típicas que envolvem seu exercício junto aos liderados diretos, ignorando que no relacionamento com os chefes e aqueles que são pares na estrutura organizacional também é possível comportar-se como um líder servidor. Você só tem que compreender que dependendo da posição que ocupam, as expectativas das pessoas serão muito diferentes.
Por exemplo, quando se tem subordinados diretos, a liderança servidora depende da sua capacidade de mostrar que cuida deles, procura protegê-los e se importa com aquilo que dizem. E isto implica tornar-se próximo o suficiente para que as pessoas revelem as inseguranças e os anseios que carregam dentro de si.
No entanto, se o objetivo é praticar a liderança servidora junto ao chefe, o caminho é diferente. Neste caso, é importante que você dê o suporte necessário para que o superior imediato alcance os objetivos que estão sob sua responsabilidade.
Ou seja, é preciso demonstrar que realmente se preocupa com aquilo que é importante para ele. Mas convenhamos, é muito difícil fornecer este tipo de apoio estratégico se o relacionamento de vocês é formal e distante, não tem a mínima ideia das metas-chave dele ou só costuma apresentar problemas em vez de propostas ou soluções.
Quem assume a responsabilidade por aquele tipo de trabalho que ninguém da equipe quer fazer ou então resolve problemas envolvendo pessoas com os quais o seu gestor não se dá bem exerce a liderança servidora para cima e ainda constrói uma sólida relação de confiança com ele. Aliás, conheço um gerente que se tornou o conselheiro informal do CEO da empresa na qual trabalha exatamente porque conseguiu captar tão bem as necessidades do big boss que nenhum dos quatro diretores goza credibilidade semelhante na hora de defender uma ideia ou projeto.
Mas, como ser visto como um líder servidor por quem é seu par na organização? Não existe outro caminho senão transmitir sinais evidentes do “tamu junto”. Muitas vezes as pessoas querem as mesmas coisas dentro das empresas, só que transmitem suas boas intenções de forma equivocada. Isto é, parecem jogar contra.
Existe um ditado que diz: “querer sempre estar certo é o primeiro passo para conseguir um divórcio”. Se estendermos esta mesma ideia para o trabalho colaborativo com quem não está nem acima nem abaixo de nós na estrutura organizacional, não tenha dúvidas de que às vezes é preciso recuar, mesmo que a razão esteja do nosso lado.
Como você já deve ter percebido, a liderança servidora não tem nada a ver com modernas técnicas administrativas. Trata-se tão somente de uma filosofia universal na qual o líder se interessa de verdade pelas pessoas independentemente da cadeira que elas ocupam na empresa. E até mesmo quando elas não sentam em cadeira alguma.
Você até pode se fazer de garçon da galera no próximo churrasco da empresa ou então quebrar o galho do chefe num dia qualquer, mas se este tipo de gesto for decorrente de benevolência arquitetada, não acredite que se tornou o modelo de líder servidor. Ter espírito de servir é, em seu íntimo, fruto da disposição de se doar ao próximo incondicionalmente e não uma estratégia manipuladora para conseguir das pessoas aquilo que se quer.

Administradores

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

6 mitos sobre liderança nos quais você precisa parar de acreditar


Diego Contezini(*)

Não importa se você tem uma grande ou pequena empresa, o essencial é saber identificar as lideranças para que o trabalho delas possa beneficiar seu negócio.

O líder é uma figura essencial dentro de qualquer negócio. Constantemente inquieto e naturalmente ávido por resultados, ele é responsável por conduzir a empresa para um processo de desenvolvimento contínuo. É a liderança quem age para criar na equipe o clima de confiança e satisfação necessário para que todos busquem objetivos comuns.
Tão grande quanto sua importância é a polêmica instalada em torno da figura do líder. Não importa se você tem uma grande ou pequena empresa, o essencial é saber identificar as lideranças para que o trabalho delas possa beneficiar seu negócio. E isso não é fácil. Há muitos mitos envolvendo essa habilidade, fazendo com que muitas vezes a identificação do talento seja comprometida. Desmistifique o assunto para que a tarefa de encontrar bons líderes na sua empresa se torne mais fácil.

Liderança é um dom
Líderes não nascem prontos, como se fossem possuidores de um dom. Por mais que uma pessoa possa ter predisposição à esta característica, terá de aprender as habilidades essenciais de um líder. Se quiser liderar com sucesso, o profissional terá de desenvolver qualidades como autoconhecimento e disciplina, além de dominar técnicas de relacionamento, comunicação e gestão empresarial, aplicando-as sistematicamente no trabalho de condução da equipe.

Todo gestor é um líder
O gestor de uma empresa deve necessariamente saber administrar e monitorar, direcionando o trabalho dos funcionários. Mas liderar vai além disso. Um líder deve conseguir encorajar a equipe na busca de resultados cada vez melhores. Liderança envolve transformação. Muitas vezes, o líder da empresa não é o dono ou o gerente, mas um funcionário de menor porte. Cabe ao dono identificá-lo e reconhecê-lo.

Líderes sabem mandar
O perfil do chefe autoritário e centralizador ficou no passado. Os poucos profissionais que ainda sobrevivem no mercado com essas características são como dinossauros, com os dias contados. O líder de verdade compreende que seu trabalho deve ser realizado em conjunto com a equipe. Ele confia nos funcionários, sabe delegar tarefas e monitora os resultados com inteligência para que consiga alcançar os melhores índices de desempenho.

Líderes sempre possuem as respostas certas
O líder sabe que não é o senhor da verdade, que não terá as melhores soluções sempre. Ele entende que processos evoluem e que não há conceitos absolutos. O que era bom há um ano pode estar obsoleto hoje. Portanto, valorize a busca por novas informações e o aperfeiçoamento técnico. Em vez de respostas, o líder deve buscar sempre novas perguntas, instigando a curiosidade e a inovação entre a equipe.

Líderes são cercados de servidores e mordomias
A essência da liderança é o serviço. O líder deve servir à sua equipe e à empresa. Profissionais cercados de mordomias e funcionários bajuladores deixam de ser líderes para render-se à ambição e ao deslumbramento do cargo que ocupam e das conquistas do passado. Esses profissionais estão fadados à estagnação. O líder de verdade jamais deixará de trabalhar com presteza.

Líderes são formados a partir de fórmulas preestabelecidas
Líderes são formados a partir de um longo processo de aprendizado e aprimoramento pessoal. Não existem fórmulas mágicas! Muitas pessoas são seduzidas a participar de cursos rápidos de liderança, que prometem mudar a forma como se relacionam com o trabalho e o restante do mundo. Infelizmente, esse tipo de milagre não existe. Se você quer se tornar um líder, tenha em mente que vai desenvolver um trabalho a longo prazo. Saiba que não há escola para isso, você estará sozinho nesse processo. E, sim, será difícil, mas muito compensador.

Administradores

(*) Diego Contezini é COO do Assas.com, ferramenta que permite que autônomos e pequenos empreendedores emitam cobranças com boletos sem que precisem falar com seus bancos, gerentes ou quaisquer outros fornecedores.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Curso online EXCELENTE para Professores da Escola Dominical: Contadores de Histórias


Já estamos nos encaminhando para o fim de 2014.
Pare suas atividades por um minuto e tenha um momento de reflexão: Pense no que ocorreu durante o ano que passou. Você alcançou seus objetivos? Evoluiu nos campos Pessoal e Profissional?
Independente da sua resposta, chegou a hora de colocar em prática os planos para 2015 e 2016.  Anos de oportunidades.
No campo Profissional, talvez receber um aumento ou promoção em seu emprego atual. Já no campo Pessoal, talvez administrar melhor seu tempo, organizar-se um pouco mais.
Não importa quais são seus planos, é preciso traçar estratégias para alcançá-los. Uma delas pode ser investir no seu desenvolvimento pessoal, estudando. Que tal fazer AGORA um curso online?


E também o excelente curso para auxiliar professores de Escola Dominical:

Curso de Contadores de Histórias



sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Bíblia: O livro proeminente da administração


Leonardo Posich(*)

O amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos. 1 Tm 6:10
Em meio a rotina estupefata de estudante do curso de administração de empresas, muito me debrucei sobre os livros clássicos dessa magnífica ciência, e que tantos condenam a sua importância para o mundo dos negócios.
Ao passar horas estudando as teorias e vivências de Taylor ou até mesmo tentando responder algumas dúvidas que pairavam sobre minha mente acerca dos pensamentos mais profundos e inestimáveis de Drucker, jamais tive a mesma experiência de ter dedicado parte do meu precioso tempo, lendo e praticando a Palavra de Deus.
Deixando de lado um pouco dos nossos valores, crenças e nem muito menos questionando a veracidade ou o tamanho da sua fé, te convido a se despir da sua rotulariedade e encarar o fato, que esse magnífico livro tem, valiosos ensinamentos tanto para sua vida quanto para os seus negócios.
Um dos principais personagens (se não o principal) e o divisor de águas entre o antigo e o novo testamento (Jesus Cristo) nos deixa claro como ser um ótimo líder. Seu legado milenar esta enraizado no cerne da humanidade e seus ensinamentos continuam mudando vidas.
Não precisa ser especialista e nem muito estudado, para entender, que líderes não são profissionais que sabem somente lidar com metas, números e objetivos mas acima de tudo, sabem influenciar e inspirar pessoas em prol de um objetivo comum.
Em Salmos 16:32 diz o seguinte:
Muito melhor é o homem paciente que o guerreiro, mais vale controlar as emoções e os ímpetos do que conquistar toda uma cidade.
O líder ou qualquer profissional paciente, é mais assertivo em sua tomada de decisões. Muitos reinados sucumbiram perante a sua própria impaciência. Na pressa, cometemos nossos piores erros. Mais importante que a velocidade é a própria direção.
"Prefiro dar passos curtos e firmes sem perder o sentido, do que andar em alta velocidade e perder o rumo".
Você só saberá se chegou, se estiver focado aonde é o seu destino.
Há quem diga que palavra de Deus condena o próprio o dinheiro. Os ensinamentos bíblicos são claros com relação ao uso do próprio capital. Quanto a avareza, a palavra de Deus é mais transparente que uma bolha de sabão.
O avaro procura prazer em seu próprio dinheiro e acaba sempre soterrado em sua própria ganância. Dinheiro é um excelente servo e um péssimo senhor. Deixo aqui uma pergunta: Você morre servindo ao dinheiro, ou você vive servido pelo dinheiro?
Não trabalhe pelo dinheiro, faça o dinheiro trabalhar para você. Ele não é o fim, mas sim o meio. Tão bom quanto ganhar dinheiro é poder mudar a vida de alguém.
Dinheiro não é ruim ele é bom. Mas pode ser melhor ainda se for usado para o bem. Porém não é tudo. Enquanto o avaro pensa somente em seu enriquecimento próprio, o empreendedor (generoso) visa gerar valor (empregar pessoas e gerar renda) dentro da sociedade.

Lei da abundância: aquele que plantar pouco, o pouco colherá. Falando de forma ainda mais clara e direta. A árvore boa não dará frutos ruins e a árvore ruim não dará frutos bons. Se você tem um bom negócio (produtos e serviços de qualidade) clientes satisfeitos e felizes você terá.
As suas atitudes falam tão alto que chega a ensurdecer o seu discurso. No mundo dos negócios, se você não é honesto, não vai pra frente. E se for pra frente, logo tropeça e não levanta mais. Quem é feliz no pouco, será feliz no muito. Quem honra as pequenas coisas, honrará as grandes obras e será incubido de grandes responsabilidades.
O invejoso é ávido pela riqueza, é capaz de passar por cima de todos e de tudo para o seu próprio enriquecimento, e é péssimo para entregar valor para aqueles que o cercam. A inveja é algo que corrói a sua alma e destrói seu espírito. Muitos líderes foram destronados pela sua própria inveja. Você já leu a história do rei Saul?
Eu costumo dizer para mim mesmo todos os dias, hoje serei melhor do que ontem. Falo isso, porque sei que o maior concorrente que eu posso ter, sou eu mesmo. Minha mente esta a todo tempo tentando matar meus próprios sonhos. Costumamos nos auto sabotar e é engraçado como a bíblia fala muito sobre isso.
Eu poderia passar horas escrevendo esse artigo acerca desse importante livro de administração (embora não visto dessa forma por inúmeras pessoas) e ainda assim, seria pouco para externalizar tamanho ensinamento.
A Bíblia diz, que aquele que tiver preguiça, cairá em um profundo sono. Quem trabalha bem, trabalha bem até de graça. A insatisfação com o trabalho é uma das principais causas da baixa produtividade. Não ter prazer no que faz, é um sério agravante para o insucesso.
Existem muitos profissionais que costumam arranjar desculpas com relação a sua produtividade. Diz não trabalhar bem, por conta do péssimo salário. Outros são capazes de entregar um trabalho medíocre e usar como desculpa, a má remuneração.
Como todo e qualquer livro, esse só fará diferença em sua vida, se você dedicar parte do seu precioso tempo lendo, estudando e praticando aquilo que lhe é ensinado. Um livro pode ser somente um simples objeto de capa dura, repleto de folhas brancas com vastas palavras, empoeirado no fundo de uma gaveta e nenhuma diferença fará em sua vida.
Se tivesse lido a Bíblia quando estudava administração, tenho certeza que minha curva de aprendizado seria muito menor. Teria quebrado menos e acertado mais.
“Quem tenta enriquecer-se depressa não ficará sem castigo" (Prov 28:20).
Não existe sucesso sem trabalho árduo e esperar que Deus faça as coisas por você, não te fará alguém melhor!

(*)Leonardo Posich é formado em administração de empresas, pela faculdade Cesusc. Empreendedor digital (ijumper) e ex-sócio do Mundo Canibal Games (dos jurássicos da internet Rodrigo e Ricardo Piologo). Especialistas em captação de novos negócios (prospecção, geração de tráfego qualificado e vendas). Atualmente esta escrevendo um livro na área de relacionamentos (a base de qualquer negócio) além disso é uma pessoa super comprometida com o seu sucesso!

Administradores

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo