sexta-feira, 15 de junho de 2007

Dar e receber conselhos - todo cuidado é pouco

Ednilson Correia de Abreu

Dizem que se conselho fosse bom não era dado, mas vendido. Discordo. Existem poderosos conselhos dados gratuitamente que têm transformado vidas.

O líder é alguém que, entre outras coisas, costuma dar muitos conselhos e receber tantos outros. Isso nos coloca numa posição estratégica de influência que algumas vezes extrapola a nossa própria consciência do peso dessa posição.

O propósito desta reflexão é de chamar a nossa atenção para que, como líderes, estejamos mais atentos aos tipos de conselhos que ministramos e que recebemos, pois, por razões óbvias, nem sempre acertamos naquilo que falamos ou recebemos na forma de sugestões para vida ou conselhos.

Muitas vezes nos dirigimos às pessoas e falamos coisas que não percebemos o impacto disso na vida de quem nos ouve. Outras vezes, somos nós que recebemos conselhos que, se aceitos na íntegra, irão fazer a diferença entre o fracasso e o sucesso de nossa jornada.

Nossas palavras realmente têm um peso de valor grande, não no aspecto místico, como tem sido muito propagado hoje em dia, mas porque somos líderes e temos pessoas sob a nossa influência e também somos influenciados por outros, porque também precisamos do apoio que pode vir na forma de um bom e sábio conselho.

Eu mesmo, uma vez, quando vivia uma crise no ministério que inclusive afetava a minha família, recebi de um outro líder o conselho para desistir do ministério junto com a minha família. Na época, eu era um missionário no sul do Brasil. Já se passaram cerca de 15 anos depois de ter recebido este conselho, que graças a Deus não aceitei. Depois disso, já pude cooperar na organização de três igrejas, apoiar uma igreja em transição pastoral, trabalhar na recuperação de duas outras, editei um livreto, fiz parte de uma abençoada equipe pastoral em uma igreja em franco crescimento, lecionei em dois seminários e em uma faculdade teológica cooperando na formação de outros líderes e pastores, concluí um mestrado em ministério, escrevo artigos para publicações em sites evangélicos, prego no rádio, aconselho centenas de pessoas, já preguei outras centenas de sermões e ministro outros tantos estudos.

Hoje continuo sendo pastor ativo de uma igreja na mesma denominação em que me converti junto com a minha abençoada família. Muitas lutas foram vencidas e outras certamente o serão, mas graças à misericórdia de Deus não aceitei aquele conselho para desistir.

Quanta coisa teria deixado de realizar na obra do Senhor se tivesse aceito tal conselho?

Há poder em nossos conselhos. Assim sendo, temos de ter equilíbrio, sobriedade, humildade, dependência de Deus, perspectiva bíblica, discernimento e sabedoria para sugerir algo que possa influenciar a trajetória de vida de uma pessoa. Principalmente quando somos líderes, nunca é demais lembrar que nossa palavra passa a ter um peso maior sobre os demais.

Às vezes é melhor calar do que se ver obrigado a dar um conselho sobre o que você não sabe e acabar confundindo ou influenciando negativamente alguém.

Que Deus nos livre de sermos conselheiros molestos e nos dê a graça de sermos encorajadores do bem na vida daqueles que Deus coloca sob a influência dos nossos conselhos.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo