sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

SEMINÁRIO INTERNACIONAL DISCUTE LIDERANÇA NO IBMEC SÃO PAULO

* Ana Paula Ruiz

No último dia 16, os executivos que estavam em São Paulo (SP) puderam participar de um Seminário Internacional sobre Liderança, com a presença da especialista em Ética Empresarial, Joanne Ciulla, da Universidade de Richmond. O evento, que acontece há sete anos na capital paulista, foi realizado no Ibmec São Paulo, sob o tema "O desafio de uma liderança ética e efetiva", também assunto da palestra da convidada. O evento tem como objetivo promover o debate entre as questões que envolvem a liderança efetiva e a liderança ética. O painel propôs questões como "O que é uma boa liderança?" e "É possível ser um líder ético e efetivo?".
Joanne é professora da Jepson School of Leadership Studies da Universidade de Richmond, é pesquisadora nas áreas de Liderança, Ética Empresarial e Filosofia do Trabalho e autora de cinco livros e diversos artigos sobre o assunto.
Na análise de Joanne, o desafio do educador é desenvolver bons líderes, executivos moralmente bons e tecnicamente efetivos. Um dos pontos abordados pela palestrante foi a dificuldade de encontra ambas as qualidades no mesmo colaborador, uma vez que algumas pessoas são éticas, mas não muito efetivas, enquanto outras são efetivas, mas não muito éticas... "Boa liderança envolve ser ético e eficaz; ser capaz de exercer o seu trabalho. Liderança é a moralidade ampliada: coisas boas ou ruins são ampliadas quando são feitas pelo líder. Coisas que a longo prazo trazem prosperidade são inseridas na história. E não adianta fazer a coisa certa, da maneira certa mas por razões erradas – é preciso fazê-las pela razões certas", afirmou Joanne na abertura de sua exposição. Para ela, este é o grande fator complicador e desafiante de liderar com eficácia. A idéia americana de liderança, segundo ela, se baseia no pensamento de Benjamin Franklin, que diz que o líder tem que ter um bom perfil, incluindo tranqüilidade, limpeza e humildade. Seu caráter deve ser ético, assim como suas virtudes. Hoje, o mais importante é a personalidade do profissional.
Quanto ao comportamento da maioria dos líderes, Joanne afirmou que eles costumam até ter um alto padrão moral, mas não se preocupam muito com os outros. "O bom líder é aquele que é a mesma pessoa para todo o mundo. Seguidores éticos fazem um líder ético, e um líder não pode deixar de ser ético nunca! O problema é que muitos líderes acham que estão acima do bem e do mal...", brincou Joanne.
Pesquisas americanas mostram que quando as pessoas se tornam bons líderes, outras pessoas dão a elas espaço para se desviarem das normas. "Basta pensar nos relatórios de viagem de executivos que trabalham numa grande empresa."

O SUCESSO É UM DESAFIO PARA OS SERES HUMANOS

E Joanne voltou à história do Rei Davi para ilustrar isso... Davi, segundo ela, era um líder bem-sucedido. No segmento da história que fala sobre o processo de seleção de liderança de Deus para a luta contra o gigante, a biblía cita que apesar do irmão de Davi ser bem mais forte e encorpado do que ele, Deus escolheu Davi para enfrentar o gigante porque ele tinha um grande coração. "Esta é a parábola da queda de muitos líderes...". Quando Davi entra no castelo do gigante, olha pelo muro e vê uma bela mulher se banhando – imediatamente ele pede aos guardas que tragam a mulher até ele. O romance entre os dois tem início, mas Davi se vê num grande problema quando descobre que o marido de sua amada é um de seus melhores generais. Ele resolve esconder o caso. "E aí vem uma grande lição de liderança, ou melhor, mais uma: Davi não consegue dormir pensando no general e acaba se esquecendo de seus homens na frente de batalha, por isso resolveu esconder de sua amada a idéia de mandar o marido dela para o front e retirar as tropas para que ele morresse. Muitos líderes passam por problemas éticos, como Davi, e resolvem também encobrir o caso – e esta é a pior saída", afirmou Joanne.
Segundo ela, esconder o fato é o maior abuso de poder que a pessoa pode cometer, e isso ocorre com muita freqüência em empresas e ONGs. Hoje em dia, quem tem poder costuma ter acesso privilegiado a algumas coisas, ter uma crença inflacionada de sua capacidade de influenciar as pessoas, ter o controle dos recursos para encobrir seus problemas e, com tudo isso, acabam perdendo o enfoque estratégico do negócio. "Foi o que ocorreu quando Davi prestou atenção na bela mulher, que se banhava do outro lado do muro, e deixou de pensar em seus homens na frente de batalha. Ninguém avisou Davi que ele estava perdendo o foco da guerra". Por isso Joanne ressalta a importância do profissional ter alguém que sirva como uma alerta – pode ser a esposa, o marido ou até mesmo um funcionário.

SER ÉTICO É DIFERENTE DE SER EFICIENTE

Quem não se lembra do atentando de 11 de setembro? Pois bem, diz a história que um advogado que tinha um escritório no World Trade Center conseguiu escapar do acidente e nenhum de seus funcionários ficou ferido. No dia seguinte à tragédia ele arrumou um novo escritório, comprou mesas novas e continuou trabalhando. Mas como seus funcionários estavam no dia seguinte? E o trauma do acidente? É bom manter suas obrigações – por um lado ele foi ético e teve boas intenções, pois continuou prestando atendimento aos seus clientes, mas seu comportamento foi ético? "Você tem que ser ético. Certifique-se disso analisando suas ações no dia-a-dia. A ética é uma fonte extraordinária de poder, e não há excelência e poder nos negócios se não houver confiança. Muitos líderes tem metas fantásticas mas se esquecem de consultar o que sabem. Nosso desafio como líderes é sempre estar de olhos abertos, pois somos seres humanos e temos defeitos, mas não podemos falhar", encerrou Joanne, deixando uma verdadeira lição de casa para a platéia:

"É preciso ter muitas qualidades para ser um bom líder. A educação é fundamental, portanto, estude numa escola de liderança que saiba criar novos líderes; as pessoas precisam adquirir conhecimentos e se relacionar. Ter confiança é fundamental, mas manter a humildade é mais importante ainda; as duas características não são opostas, e os gregos costumam chamar isso de 'reverência', ou seja, saiba que você não é Deus; compreenda suas limitações olhando para a frente. Olhe 'no geral'; veja sempre o quadro como um todo. Pense antes, e pense no contexto geral em que as coisas acontecem. Tenha uma idéia clara do que é o sucesso - esta é a parte mais importante da liderança. Sucesso é mais do que dinheiro; é preciso florescer para ele. E lembre-se: a ética é uma construção social. Ética são bons hábitos. Não deixe as pessoas terem maus hábitos e nunca deixe o código de ética da sua empresa simplesmente pregado na parede ou guardado na gaveta. Coloque-o em prática."

COM A PALAVRA, OS EXECUTIVOS

Após a palestra, os participantes puderam conhecer a opinião sobre o assunto de três grandes executivos de sucesso:

Guilherme Peirão Leal
Fundador e co-presidente do Conselho de Administração da Natura Cosméticos

"Somos uma das empresas mais admiradas em quase todas as pesquisas e acredito muito que a base da ética é perceber todos como seres humanos como espécie. Há 25 anos passei por uma experiência humana e empresarial muito rica: trazer uma empresa de fundo de quintal ao mercado, apenas com base em valores éticos. Em 1969 não tínhamos técnica, nem dinheiro e nem liderança - só tínhamos muita concorrência! Éramos improváveis, mas apostamos na ética, e percebemos a interdependência de tudo e de todos para preservar nossa vida. É esta nossa visão e é desta maneira que queremos nos tornar uma marca de expressão mundial, trabalhando com pessoas que querem melhorar consigo mesmo, com os outros e com o ambiente. Isso mobiliza as pessoas, e não se trata de discurso e nem de código de ética – é uma maneira de agir. Já passamos por vários dilemas éticos, afinal, vivemos num País onde existe corrupção e concorrência desleal. Então, como formar e multiplicar líderes éticos neste contexto? Eles já nascem prontos? Não saberei a resposta exata, mas na Natura apostamos em ter um ambiente favorável à criação destes líderes. Não temos um código de ética escrito, mas nossos valores são muito claros; tão claro que até provocam uma reciclagem natural. Não adiante a liderança ser apenas ética; ela tem que ser eficaz. Não quero um líder que seja bom em cima de pessoas fracas – o desafio é ter pessoas éticas e capacitadas, e é este profissional que quero trabalhando comigo! Ser transparente é fundamental, assim como acreditar na possibilidade da mudança. Ouça os alertas – uma das riquezas da Natura é que somos três presidentes e somos um todo. Seja humilde, pois vale a pena investir na ética, em todos os sentidos."

Luís Norberto Pascoal
Presidente da DPaschoal

"As pessoas costumam achar que celebridades - ou líderes - não podem errar, mas temos que nos lembrar de que eles são seres humanos, e que têm fraquezas; apenas as acobertam. Tentam enganar e destruir tudo o que constróem em termos de liderança. Passei por três dilemas éticos recentemente e tive que fechar empresas e demitir funcionários que iam bem – tudo isso porque um dos nossos concorrentes estava usando um esquema fiscal nada ético. Nessa hora você tem que voltar a sua própria história e ver o que te dá estrutura. Se preserve no que você acredita, pois se você fizer o contrário, uma hora seu 'rabo' vai aparecer... O valor ético é questionado pelos próprios funcionários, e esta é a parte mais difícil de ter um código de ética. Costumo dizer que se aquilo que você pretende fazer pode estar escrito na primeira capa do jornal e numa carta aos seus netos, faça; senão, repense. Qual é o meu papel social como empresa? Qual é o meu papel empresarial? O que eu agrego à sociedade? Como eu falo com as outras pessoas? Costumo seguir meus valores? São questionamentos fundamentais para todo início de processo de liderança ética e eficaz."

José Valério Macucci
Professor do Ibmec São Paulo

"Essa não é uma discussão simples, mas ela precisa estar em nossa vida. Como escola, temos dois pontos a ser discutidos. O primeiro é a busca de um cidadão para exercer seu papel profissional com todos os preceitos aqui colocados, e o segundo é a aproximação da escola com a realidade – e este é um enorme desafio. Liderança e ética são exercícios que devem ser praticados todos os dias. Liderar é orientar - oferecer caminhos, direções -, influenciar – exercer o poder – e criar motivos para que as pessoas atinjam determinado objetivo ou meta, sempre dentro de preceitos éticos e valores. Quais são as características do bom e do mau líder? Pense nisso! Segundo o modelo de liderança exposto pelo professor Peter Kostenbaun, o exercício da liderança envolve ética, visão compartilhada, realidade, coragem e excelência pessoal. Na escola é possível formar excelentes pessoas, tanto cidadãos quanto profissionais."


* Ana Paula Ruiz é jornalista do Grupo Catho.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo