terça-feira, 2 de setembro de 2008

Doutrina Bíblica e Ética Cristã.

Doutrina Bíblica: monstra a nossa posição em Cristo, ou seja, vocação a que fostes chamados;
Ética Cristã: determina o nosso comportamento em Cristo, ou seja determina o nosso comportamento em Cristo;

A ética se dividem em três partes:
Ética individual – a que trata do dever do homem para consigo mesmo; Ética social – a quer trata do dever do homem para com o seu próximo;
Ética teísta – a que trata do dever do homem para com Deus.

I – ÉTICA INDIVIDUAL
Paulo chama a atenção de Timóteo para este fato, quando diz: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes” (1 Tm 4:16).
Para o cristão, a ética individual começa com o autocontrole. Isto é, começa de dentro para fora. No Salmo 37 vamos encontrar os passos desse autocontrole tão necessários para o bem estar de cada ser humano: “Confia no Senhor...”;
“Agrada-te do Senhor...”;
“Entrega o teu caminho ao Senhor...”;
“Descansa no Senhor...”;
“Não te irrites...”;
“Deixa a ira...”; (raiva contra alguém, desejo de vingança)
“Abandona o furor...”; (ira exaltada, fúria)
“Não te impacientes. ..”. A falta de autocontrole “achará mal”.
conservação própria é, portanto, absolutamente indispensável a uma pessoa. Os vícios, cigarro, bebida, drogas, sexo livre, jogatina – tão comuns entre o povo do mundo, são condenáveis entre os cristãos.

II – ÉTICA SOCIAL


A ética social trata dos deveres gerais do homem para com o próximo. Visto que a existência contínua da pessoa lhe é absolutamente indispensável no cumprimento da sua missão moral, o grande dever do homem para com o seu próximo é procurar, por todos os meios lícitos, conserva-lhe o  ser com todos os seus direitos. O nosso próximo tem direitos à conservação da vida; tem direito ao exercício livre dos seus poderes; tem direito ao governo de seus bens; tem direito à verdade em todas as relações; e, finalmente tem direito ao acolhimento de um irmão.

O fariseus perguntaram a Jesus: Mestres, qual é o grande mandamento na lei? Respondeu-lhe Jesus; Amarás o Senhor teu Deus, de todo o seu coração, de toda a tua alma de todo o teu entendimento. O Segundo semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22:36-39).
O primeiro mandamento trata da ética teísta, e o segundo mandamento trata da ética social:


Vejamos como Paulo coloca o assunto: Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo. Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros” (Fp 2:3, 4).

Jesus coloca, no segundo mandamento, o amor como o fundamento da ética social. Ninguém consegue conviver bem com o seu próximo se ele é desprovido do sentimento de amor. E seu famoso capítulo do amor, Paulo diz o seguinte: Para ler (1 Co 13;4-8). O amor, como definido nesta passagem bíblica, nada tem a ver com sentimentos ternos e calorosos de afeição. O amor ético não se expressa nas palavras “eros” ou “fileos” e, sim, na palavra “ágape”: amor incondicional. A segunda milha da ética social nos diz o seguinte: Ler (Rm 12:20, 21).

III – ÉTICA TEÍSTA


A ética teísta trata da aplicação dos princípios da lei moral ao procedimento do homem em suas relações com Deus. Quando mentalizamos a paixão de Cristo, deparamo-nos com duas hastes de madeira cruzadas. A haste vertical representa a relação de Deus com o homem a haste horizontal representa a relação do homem com o seu próximo. A haste vertical é a ética teísta e a horizontal a ética social; os nossos deveres para com Deus. Os dez mandamentos podem ser colocados nesta dimensão. Os quatros primeiros tratam dos deveres para com Deus (ética teísta); os seis mandamentos seguintes tratam dos nossos deveres dos nossos deveres para com o próximo – ética individual e social.

Quando Paulo, em Romanos 12:1 e 2, fala do “culto racional”, ele está falando do homem total e devoção a Deus:
    1 – a devoção suprema do corpo a Deus;
    2 – a devoção suprema do intelecto a Deus;
    3 – a devoção suprema do coração a Deus;
    4 – a devoção suprema da vontade de Deus.
A nosso relação com Deus é a relação chave em nosso vida, por isso é que dessa relação dependem todas as outras relações. A pessoa que fica feliz nessa relação, sê-lo-á, também, em todas as outras de que trata a ética.
A ética teísta, é a devoção do homem a Deus. Isto é, entrega total, plena e irreversível da nossa vida ao Senhor. Jesus disse a multidão: “Se alguém que vir após mim, negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mc 8:34).
O cristianismo como um segmento da grande sociedade universal tem o seu de ética que é a Bíblia Sagrada (2 Tm 3:16, 17).
Cada momento temos que tomar decisões com implicações pessoais, sociais e teístas. Temos que avaliar quais os efeitos das nossas ações sobre nós mesmos, sobre os outros e, acima de tudo, sobre o nosso Deus.
Disse Jesus: Ler Mt 5:16.

APLICAÇÃO


Eu estou colocando esta áreas da ética na prática?

“... cada um de nós dará contas de si mesmo a Deus”  (Rm 14:12) – ética individual;
“Levai as cargas uns dos outros” (Gl 6:2) – ética social;
“Não terás outros deuses diante de mim” (Ex 20;3) – ética teísta.

BIBLIOGRAFIA
1.        BÍBLIA DE ESTUDO PETENCOSTAL, 1995, CPAD, EDIÇÃO 1995, REVISTA E CORREGIDA – RJ
2.        BÍBLIA EXPLICADA, 1999, CPAD, 14ª EDIÇÃO, S. E. McNair – RJ
3.        UNIVERSAL BIBLE DICTIONARY, VER. BUCKLAND, 1981, EDITORA VIDA – SP
4.        POCKET CICTIONARY OF THEOLOGICAL TERMS: OVER 300 TERNS CLEARLLY & CONCISELY DEFINED POR INTER VARSILY (DOWNERS GROVE, ILLINOISM EUA);
5.        O COMPORTAMENTO DO CRENTE, ANO XXVI – Nº 07 – 2003.




PASTOR JONAS J. NETO

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo