sábado, 4 de setembro de 2010

Líderes que choram

Por Ivan Marcos Krüger

Nos padrões normais da hierarquia, ou você lidera ou é liderado. Quanto mais poder de decisão uma pessoa tiver, mais ela influenciará, positiva ou negativamente. Quando abrimos a Bíblia, percebemos uma realidade diferente, uma perspectiva vista sob um outro ângulo e por isso tão dificilmente aceita por muitos líderes atuais.
Seja líder ou liderado, um deve entender e compreender as necessidades e tarefas do outro. Líderes ajudam, criam, correm atrás, delegam, apaziguam, enfim, carregam fardos aparentemente pesados demais.
O líder muitas vezes é a pessoa perfeita aos olhos de seus liderados, quando na verdade é bem o contrário, pois somos tentados segundo nossas forças e nem sempre vencemos. Todos passam pelas mesmas aflições, dúvidas e medos. A diferença está na coragem e na vontade. As pessoas esquecem de que os líderes também têm sentimentos e que precisam de seus liderados para os ajudar. O líder ensina, dá o exemplo, mas precisa de alguém que o fortaleça de igual maneira.
Não foi diferente na vida de Jesus. Ele precisou do pai, precisou orar muito, precisou dizer não e trazer à luz a verdade desconhecida pelas pessoas. Líderes trabalham com pessoas e estas podem magoar, decepcionar, muitas vezes até sem querer, mas o fazem. Isso tudo causa um desconforto muito grande no coração, gerando sentimentos como o desânimo, a mágoa, e até a raiva.
Muitos métodos são corretos para aliviar este desconforto como a atividade física, o relaxamento, as férias, mas nada é tão eficiente quanto a oração, a conversa, e o choro. Não quero aqui incentivar a lamúria e a reclamação, apenas que não nos tornemos uma panela de pressão, o que não é difícil acontecer devido às muitas atribuições da liderança.
Este sentimento externado revelou o lado humano de Jesus, e é uma válvula de escape aos responsáveis por uma organização. Líderes trabalham com sentimento, decidem pela razão, e conhecem as conseqüências de inverter estas palavras. Por tantas vezes Jesus acalentou, ouviu, perguntou e sarou e mais tarde, precisou destes mesmos gestos.
Talvez estejamos cansados de carregar o fardo das outras pessoas, estejamos fartos de escutar e de organizar, e necessitamos de alguém que nos ajude. Não somos super-crentes, nem tampouco vamos ser. Somos exigidos na medida de nossa fé. E temos a palavra de consolo de nosso Mestre que diz “Vinde a mim os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei”.
Talvez Deus queira ouvir o seu clamor, ver suas lágrimas atingindo o chão e suas mãos estendidas aos céus suplicando forças. Imagino Jesus sentado numa pedra convocando a você e a mim, líderes e liderados a escutarem o que ele nos tem a dizer e passando sua mão em cada rosto cansado.
Pela palavra de Deus podemos quebrar nosso coração de pedra e eliminar todos os sentimentos lá arraigados. Vamos derramá-lo nos pés do Senhor. Ele nos chama! Simples e óbvio para nós cristãos, mas facilmente esquecido.

www.institutojetro.com.br

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo