sexta-feira, 23 de março de 2007

A Arte de Influenciar Pessoas e Impactar Vidas!

A Arte de Influenciar Pessoas e Impactar Vidas!
Publicado em 07/03/06 às 11:03

Por Josadak Lima

O Apóstolo Paulo potencializou a vida e ministério do jovem Timóteo, por meio de princípios bíblicos, experiências práticas e assessoramento contínuo, de tal maneira, que ele veio a se tornar um dos seus mais bem sucedidos cooperadores (1 Tm 2.2). Isso nos faz refletir sobre a necessidade de discipuladores, como Paulo, em nossa geração.

Discipular ou mentorear?

Mentor é outra palavra para discipulador. Tanto o mentor como o discipulador consiste em ser um guia, mestre, pai espiritual e conselheiro.

Por que ter um discipulador? Todos nós temos "pontos cegos", que só as pessoas que andam conosco mais de perto conseguem enxergar, daí elas podem nos ajudar a corrigi-los. Outra grande vantagem de se ter um discipulador é que, se estivermos passando por qualquer tipo de dificuldade, temos onde recorrer para pedir ajuda.

Na visão tanto de Jesus como de Paulo, discipular é multiplicar a si mesmo! O trabalho deles como discipuladores era muito mais do que ter um grupo de estudo e passar informações. Era, sobretudo, uma formação espiritual, onde os discípulos eram equipados e, a partir deles, a vida de Deus fluía para outras pessoas.

É na caminhada do discipulado que entendemos que o negócio não é só plantar! É necessário regar e cultivar, para render frutos.

A melhor palavra que ilustra o processo de um bom discipulado é o verbo grego "aperfeiçoar" (katartizo, Ef 4.12), usado pelos antigos escritores para descrever o ato de um cirurgião pondo no lugar ossos fraturados – junção de ossos deslocados. Este verbo se refere tanto a "consertar o que está quebrado", como o "aprimoramento do que foi feito". É isto que acontece no discipulado, segundo o modelo de Jesus e Paulo!

Por que o discipulado é tão Importante?

A igreja "clama" por uma liderança com a visão de discipulado que valorize relacionamentos, que seja padrão dos fiéis no caráter, que influencie pessoas e impacte vidas. Refiro-me a um discipulado que é antagônico ao modelo de ensino tradicional visto nos seminários e institutos teológicos, que é mais teórico, formal, focado mais na mente da pessoa, do que nos relacionamentos.

O verdadeiro discipulado é informal, prático e enfoca mais o coração.

Pois, "O" grande alvo da vida cristã é sermos segundo a imagem de Jesus (Rm 8.29). Mas isto não é possível, sem termos modelos autênticos para seguir. Este modelo é passado por meio de um discipulado sério que promove acompanhamento e avaliação constante da maturidade do discípulo, tendo em vista a reprodução de líderes sadios, no contexto de uma igreja local.

Como fazer um discipulado dinâmico e espiritual?

1º) Observar a pessoa ou o histórico do discípulo, procurando analisar a situação de todos os ângulos possíveis, para ajudá-lo.

2º) Confrontar com amor. O discipulador deve fazer boas perguntas que levem o discípulo a refletir e chegar as suas próprias conclusões rumo às mudanças.

3º) Acompanhar e apoiar o discípulo no processo de mudanças na sua vida, não mandando ou determinando, mas sugerindo ou aconselhando.

Concluindo, discipular é, em essência, influenciar pessoas e impactar vidas! Em busca deste objetivo, devemos seguir o exemplo tanto de Jesus como de Paulo, pois eles valorizavam relacionamentos, eram exemplo de caráter e ajudaram no desenvolvimento pessoal do discípulos.

Pastor Josadak Lima é bacharel em Teologia, escritor, mentor do Centro de Despertamento Vocacional; assessor do MAPI/SEPAL para a região sul do Brasil. Treina pastores e líderes na área de Grupos Pequenos, tanto de Discipulado como Familiares. Membro da equipe pastoral da 1ª Igreja do Evangelho Quadrangular de Curitiba.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo