terça-feira, 3 de julho de 2007

Obediência - a visão do líder

Jesus lavando os pés dos discipulos.

Parte 1 - O Mandamento
Em diversas passagens a Bíblia é clara em relação ao chamado à obediência, aos nossos pais, ao governo, às autoridades eclesiásticas e todas as demais autoridades. Pois essas são instituídas pelo próprio Deus (Rm 13.1-2, 1Pe 2.13-14, Tt 3.1, Jd 9, Hb 13.17). Muitos tentam justificar sua desobediência com o autoritarismo de seus pais ou da corrupção do governo. Porém a Bíblia não nos dá essa opção, ainda mais se levarmos em conta o contexto histórico em que os textos que exigem obediência foram escritos. Nos tempos neotestamentários, o cristianismo não era essa moleza que é hoje, não havia pastores prometendo prosperidade financeira, física e emocional. A mensagem era “aceite a Cristo e esteja preparado para sofrer”, o próprio Jesus reservou duas bem-aventuranças aos perseguidos (Mt 5.10-11), e uma rápida lida nas páginas de Atos dos Apóstolos nos mostram essa assustadora realidade. Nero, imperador romano da época, colocou nos cristãos a culpa pelo incêndio em Roma, que foi sua responsabilidade. D.James Kennedy diz sobre Nero em seu livro “E Se Jesus não tivesse nascido?”:


“Era uma época cruel, caracterizada por tiranias e despotismo. Tome o imperador Nero como exemplo. Ele havia recebido o que havia de melhor na educação filosófica pagã e, ainda assim, degenerou para tornar-se um dos piores homens que a mente poderia conceber. Muitas vezes freqüentava bordéis disfarçado. Praticava, como diz um historiador, “indecências em garotos [...] batendo, ferindo, assassinando”. Ele teve uma amante com a qual queria ter um romance, mas sua esposa se opôs. O que fazer em um caso como esse? Bem, isso deveria ser óbvio para toda e qualquer pessoa: você simplesmente mata sua esposa – e foi o que ele fez. Mas sua mãe se opôs. Portanto, matou sua mãe. Mas ele não era totalmente desprovido de sentimentos. Na verdade, quando olhou para o corpo de sua mãe no funeral, disse “Eu não sabia que tinha uma mãe tão bonita”.

A seguir, casou-se com sua amante. Mas um dia, esta cometeu o triste erro de aborrecê-lo por ter chegado tarde das corridas. Estava nos últimos meses de gravidez e Nero a chutou no estômago, matando-a com a criança. Lembre-se de que este era o governante do mundo naquela época! Foi realmente um tempo cruel.”


Foram nessas condições que os apóstolos viveram e pregaram a mensagem do Evangelho. Dentre eles, somente João morreu de morte natural. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, Tiago apedrejado e Tomé transpassado por uma lança. Não foi a toa que Tertuliano, um dos pais da Igreja, disse “o sangue dos mártires é a semente da Igreja”. Foi nesse período de perseguição intensa que a Igreja mais apresentou saúde e crescimento. E ainda assim, debaixo de toda essa perseguição os apóstolos escreveram nos exortando a obedecer! Portanto, não podemos usar como desculpa para desobediência a corrupção do governo, ou o autoritarismo de nossos pais terrenos. A ordem é obedeça! Obedecer não somente ao líder bom e cordato, mas também ao perverso (1Pe 2.18). Jesus, filho de Deus, obedecia aos seus pais (Lc 2.51). Se alguém tinha direito de desobedecer, esse alguém era Ele. Mas ele não o fez e, portanto não podemos ter a pretensão de achar que somos bons demais para nos submeter, quem pensa dessa forma é porque é inseguro demais para se rebaixar. Obediência é a maior exigência que Deus faz ao Homem. Por ser Deus invisível, as pessoas o recriam a sua própria imagem e semelhança, moldam um ‘deus’ confortável a elas, “eu me submeterei a Deus contanto que concorde com Ele”, isso não é submissão em lugar algum, nós devemos nos submeter a Deus quer concordemos quer não, devemos confiar que Ele, por ser o criador da vida, sabe exatamente o que é melhor para nós e como viver a vida da melhor forma. Muitas vezes obedeceremos sem saber o porquê, a exemplo dos hebreus que seguiram muitas leis que não faziam sentido para eles, mas hoje a ciência revela o porquê de muitas delas. Mas o propósito desse artigo não é ser mais um peso nas costas dos liderados, as exigências de líderes autoritários já são pesadas o bastante. Portanto passaremos ao nosso segundo ponto.


Parte 2 - O Lado do líder
Paul Tournier, em Culpa e Graça diz:


"Filhos, obedecei a vossos pais", escreve o apóstolo Paulo (Ef 6:1). Os pais devotos evocam este versículo para exigirem de seus filhos uma submissão servil, mesmo depois de terem deixado de ser crianças. Mas estes pais dão pouca atenção ao que o apóstolo acrescenta logo a seguir: "Pais, não provoqueis vossos filhos à ira" (Ef 6:4) nem ao que ele acrescente ainda em outra passagem: "... para que não fiquem desanimados" (Cl 3:21).”


Lideres em geral, pais e pastores em especial, exigem muito de seus liderados. Mas esquecem da sua responsabilidade em conquistar a obediência de seus liderados, infelizmente no mundo em que vivemos, as pessoas se preocupam muito mais com seus direitos do que com suas responsabilidades. Não podemos esquecer que nossas atitudes como lideres podem gerar rebeldia e insubmissão nos nossos liderados. Opressão e autoritarismo geram rebeldia. Nas Igrejas, em especial nas Igrejas de visão celular e G12, muito é falado sobre obediência e autoridade espiritual. Mas sempre direcionado ao lado do liderado, nunca do líder. Onde entra a responsabilidade do líder? Não adianta gastarmos o precioso tempo de nossos cultos falando sobre obediência, dizendo que o discípulo tem que obedecer, tem que ser submisso, que rebeldia é pecado de feitiçaria (1Sm 15.22-23) se nós não ensinarmos o líder a conquistar a obediência e autoridade sobre seus liderados, ou discípulos. Margareth Thatcher disse:Estar no poder é como ser uma dama, se você tiver que lembrar as pessoas que você é, você não é”. O bom líder não precisa lembrar que é líder, seus discípulos agem devido a sua autoridade sobre eles, autoridade essa que não pode ser imposta, mas somente conquistada. Muitas vezes acreditamos que por possuirmos um titulo de líder, todos os liderados são obrigados a obedecer, enquanto é o líder que faz a posição e não a posição que faz o líder, em outras palavras, o bom líder independe de um titulo. O próprio Jesus não nos coage a agir pela força, mas pelo amor e serviço e nos convida a fazer o mesmo (Mt 20.26-28, Mt 23.11).


Parte 3 - O que gera rebeldia?
Líder, quando você se irar com a rebeldia do seu discípulo, antes de descarregar sua ira nele, se pergunte quanto você tem servido por ele, quanto você tem se oferecido a ele, quanto você tem gastado em ouvi-lo, em amá-lo, em se relacionar com ele, em suprir as necessidades dele. Sonde a sua vida e reflita se a rebeldia do seu discípulo, na verdade não é reflexo da sua rebeldia com o seu líder. Às vezes o discípulo está apenas reproduzindo o que viu em você. Lembre-se que nem todos podem ser líderes, como muitos gostam de ensinar, mas a liderança é privilégio daqueles disposto a servir, se sacrificar, amar, e abrir mão do ego, esses sim, podem liderar. Muitas vezes nós, lideres, só nos preocupamos com nossos direitos, e não refletimos nas terríveis responsabilidades de sermos lideres. Se a gente só pregar sobre obediência, podemos acabar transformando a Igreja em um rebanho de ovelhas cegas e lideres autoritários. Por isso se faz necessário, que o líder olhe mais para si mesmo quando vê rebeldia em seus liderados. Rebeldia é muitas vezes um grito por liberdade, liberdade essa castrada por leis, coerção e repreensão de líderes que não sabem liderar. Sabe porque você precisa pregar repetidas vezes sobre obediência para seus discípulos? Porque eles não te vêem como um líder, você não tem autoridade sobre eles. Não estou dizendo que não devemos pregar e enfatizar a obediência. Devemos sim. O principio precisa ser passado. Mas se nós lideres pararmos um pouco de tentar mudar nossos discípulos, e lembrarmos de mudar a nós mesmos, é certo que conquistaremos autoridade, respeito e obediência sem nem precisar abrir a boca.


Parte 4 - Quando desobedecer?
Sempre que a ordem da liderança entra em conflito com a autoridade de Deus, prevalece a segunda. “Antes importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5.29). Por isso se faz necessário o profundo conhecimento teológico para não cairmos nas garras de pastores mal intencionados, ou líderes que pecam não por malicia, mas por ignorância. O que é comum devido ao espírito antiintelectualista que assombra nossas Igrejas nos dias de hoje. Um exemplo Bíblico de desobediência é o caso das parteiras em Êxodo 1.15-22, o rei do Egito ordenou que elas matassem todo recém nascido do sexo masculino, mas por temor a Deus (Ex 1.17) elas não obedeceram à ordem do rei e foram abençoadas por Deus por tal atitude (Ex 1.20-21). Somente nesse caso nos é permitido desobedecer, não nos é permitido julgarmos o coração de um líder, não sabemos qual líder tem o coração de Davi e qual tem o coração de Saul, as aparências enganam na maioria das vezes. Deixemos que o próprio Deus cuide dos “Sauls” que existem por ai.


Parte 5 - Porque obedecer?
Obedecer não é fácil, é duro, por sermos uma raça decaída e contaminada pelo pecado inerente a natureza humana, o orgulho e a ambição falam muito alto e nos impedem de nos submetermos. Fácil não é, mas é necessário. Devemos obedecer porque Deus assim ordenou. As autoridades são pessoas que tem muito mais experiência que nós e geralmente já passaram pelo que estamos passando e podem nos aconselhar melhor. Quem nunca desobedeceu aos pais e quebrou a cara? É necessário que vivamos numa hierarquia, alguém tem que dar a última palavra, caso contrário, viveríamos em um caos. Cada um faria o que quer e o mundo não subsistiria nem sequer um dia.


Lembrem-se lideres:

“Não é dado ao líder o direito de não dar bons exemplos”
Luiz Marins, antropólogo empresarial.


Recursos recomendados:

YANCEY, Philip. STAFFORD, Tim. Desventuras da Vida Cristã. São Paulo. Mundo Cristão. 2005.

EDWARDS, Gene. Perfil de Três Reis. São Paulo. Vida. 1987.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo