segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Liderança Cristã (mensagem e estudos sobre Presbíteros e Diáconos)

Há uma liderança natural, que, mesmo sendo um dom de Deus, não se restringe aos cristãos. É a capacidade que algumas pessoas têm de inspirar confiança, expor suas idéias, aglutinar pessoas e comanda-las. Há também a liderança cristã, que além desta capacidade, inclui a vocação e a bênção especial de Deus. Vamos comentar sucintamente o que a Palavra de Deus nos diz sobre: (1) A chamada para a liderança, (2) A capacitação para a liderança, (3) O espaço da liderança, e (4) A recompensa da liderança.

A chamada para a liderança
Os líderes cristãos verdadeiros não o são por vontade própria e, muito menos, por ambição ou vaidade. Eles são chamados ou vocacionados por Deus (Jr 1.4,5). Jesus, depois de orar, “chamou os que ele mesmo quis” e “designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” (Mc 3.13-14). O líder mais famoso da igreja, no primeiro século, identificava-se como “Paulo, chamado pela vontade de Deus, para ser apóstolo de Jesus Cristo” (1 Co 1.1; Gl 1.1). Deus chama os seus líderes e servos onde, como e quando quer: Moisés, no monte Horebe; Samuel, no Tabernáculo de Silo; Paulo, na estrada de Damasco; Pedro, André, Tiago e João, às margens do mar da Galiléia; Mateus, numa coletoria… Cabe-nos somente orar rogando ao Senhor da Seara que chame e envie trabalhadores para a sua seara (Lc 10.2), ou seja, lideranças firmes, santas e eficazes.

A capacitação para a liderança
Vimos que Jesus “designou doze para estarem com ele e para os enviar a pregar” (Mc 3.14). Esta sequência é importante e válida para todos os líderes cristãos, não somente para os pastores ou pregadores. Todos precisam primeiro estar em comunhão com o Senhor. Isto, mais do que estudos e treinamentos, os capacitará para a liderança verdadeiramente cristã.
Pois, como dizia o apóstolo Paulo:
“… a nossa suficiência vem de Deus” (II Co 3.5).
Esta priorização do espiritual não deve ser usada como licença ou justificativa para o despreparo intelectual, técnico ou mesmo existencial. Deus provê oportunidades de treinamento para os seus líderes e servos, às vezes anos antes de chamá-los. Os cristãos vêem estas oportunidades como portas abertas por Deus e, muitas vezes, como direcionamentos para a vida. Sem saber o que Deus faria de sua vida no futuro, Moisés “foi educado em toda a ciência dos egípcios” (At 7.22) e, depois, passou anos nos desertos de Midiã. A educação e a experiência lhe foram muitos úteis quando Deus o chamou e enviou ao Egito para libertar o seu povo e o conduzir por aqueles desertos. Muito antes de sua conversão e chamada para o ministério da Palavra, Paulo foi “educado aos pés de Gamaliel”, um dos maiores mestres do seu tempo (At 22.3). Deus capacita com talentos naturais, dons espirituais e treinamento para lideranças e ou ministérios específicos (Rm 12.4-8; I Co 12.4-11).

O espaço de cada liderança
Deus também define o espaço para cada liderança. Tanto em Rm 12 como em I Co 12, Paulo usa a figura do corpo humano para referir as diferentes lideranças e diferentes ministérios na igreja. Ele escreveu:
“Deus dispôs os membros, colocando cada um deles no corpo, como lhe aprouve” (I Co 12.18).
É como dizemos: “A pessoa certa no lugar certo”. Os líderes e coordenadores de uma igreja precisam conhecer e respeitar as áreas de liderança e ministérios uns dos outros. Não há hierarquia, mas há lideranças mais ou menos abrangentes. Há liderança de lideranças (Não deixe de ler Gl 2.6-9; Ef 4.11-12; Tt 1.5; Hb 13.17; I Pe 5.1-3).

A recompensa da liderança
Uma palavra final de incentivo. O Senhor encoraja e promete recompensar os líderes, ministros e servos fiéis, que cumprem cabalmente a sua missão. Toda liderança, seja na igreja ou no mundo, é trabalhosa, difícil, muito difícil. Além do trabalho em si, há circunstâncias adversas, incompreensões, críticas e oposição. O líder terá momentos de desânimo, vontade de desistir; sentirá solidão e será tentado de muitas maneiras. Coisas da vida… da carne… ou do diabo! Paulo sabia das coisas. Por isso escreveu estas belas palavras de conforto e encorajamento:
“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão” (I Co 15.58).
Além disso, esse apóstolo, no fim da vida, falou com convicção de sua própria recompensa:
“Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor… me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda” (II Tm 4.7,8. Ver I Pe 5.1-4).
Alguém já disse:
“Deus não chama líderes capacitados. Ele capacita aqueles que ele chama.”

Publicado em Pastor Elber Lenz César

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Grupos do Google
Receba em seu e-mail, Textos Reformados Selecionados
E-mail:
Visitar este grupo